(Adaptado da publicação original de C4) Algo que eu já falo pra minha mãe, que já foi professora e hoje trabalha numa creche municipal. As notas das crianças brasileiras são baixas, e por algum motivo ninguém culpa os professores, os responsáveis por disseminar o conhecimento e a técnica. É sempre "falta de investimento" e "salários baixos". Como se professores mais ricos significassem notas mais altas em testes em que serão os alunos a participar. Óbvia balela de sindicato pra garantir a coesão e obediência da massa de manobra. E se um professor é um idiota útil que pode ser utilizado como massa de manobra, nem deveria ser professor em primeiro lugar. Quem é que fica com estes alunos pelo menos 4 horas por dia? Por que os alunos brasileiros são uma bosta? Os professores ficam no zap zap ou o quê? Professor bom consegue formar bons alunos em qualquer lugar, seja numa super escola com pleno orçamento, super estrutura e super salários, seja pelados no meio da Floresta Amazônica, todos doentes, chovendo, usando gravetos como giz e lama como quadro negro. E com o advento da internet e celulares, a educação já é praticamente gratuita (ressalvas feitas à mensalidade da internet e o preço do celular), o acesso ao conhecimento está aí de graça. O máximo que as crianças precisam é de tutores, e não de professores formados numa determinada disciplina, e muito menos salas de aula com uma razão de 1 professor tendo que dividir sua atenção com 20 alunos. Aí depois essas merdas vão no FB postar "sou professora por amor ❤️", pra 15 minutos depois falar que é impossível viver com salário de professor. Decida-se, vagabunda. Tá nesse emprego por amor ou pelo salário? Provavelmente pelo salário. Se não fosse pelas armas do estado, você estaria desempregada. Você é professora porque não importa se os seus alunos vão bem ou vão mal, o seu salário cai na tua conta todo mês. É um empreguinho fácil. Tem sindicato pra intimidar e fazer zona toda vez que rejeitam reajustes ou aumentos. Experimente competir e procurar pais querendo professores privados para seus filhos, que obviamente só vão aceitar os melhores professores. Chuto que 90% morreriam de fome se não mudassem de carreira. Exemplo empírico: Kansas City Desegregation Experiment https://object.cato.org/sites/cato.org/files/pubs/pdf/pa-298.pdf Jogaram caminhões de dinheiro num distrito escolar por 12 anos. Um juíz de lá fez uma interpretação freestyle da lei e ordenou que $2 bilhões de dólares fossem gastos. $11.700 dólares por aluno, em dólares dos anos 80 e 90. Era o maior gasto por aluno em qualquer lugar dos EUA. A razão professor/aluno era de 1 professor para apenas 12 alunos. Nenhum resultado: "The results were dismal. Test scores did not rise; the black-white gap did not diminish; and there was less, not greater, integration." "The Kansas City experiment suggests that, indeed, educational problems can't be solved by throwing money at them, that the structural problems of our current educational system are far more important than a lack of material resources, and that the focus on desegregation diverted attention from the real problem, low achievement." "Mas no primeiro mundo funciona" Funciona no cu da sua mãe. Olha tudo isso. Aí tem cara de pau que diz que é só fazer mais. Se tudo isso não funciona, basta tentar de novo, fazer maior e mais grande dessa vez. Vocês sentiam ódio ou raiva dos seus professores quando vocês estavam na escola? Pois então, é porque até a sua inocência infantil conseguia perceber que havia algo de errado com essa gentinha chamada "professores". Eles são loucos, acreditam nesses contos de fada com todos seus dois neurônios que existem em seus cérebros.
explicitClick to confirm you are 18+
0
remove_red_eye32