Vacina que não interrompe transmissão

Essa figura é do artigo da vacina de Oxford em macacos. Você vê que foram 6 macacos vacinados e 3 controles (com o vetor da vacina apenas, um adenovírus de chipanzé). Não encontrei testes anteriores desse vetor em humanos. Quando os macacos vacinados foram desafiados com o vírus SARS-CoV-2, eles fizeram uma redução dos sinais clínicos que não foi significativa estatisticamente, afinal havia poucos animais. A redução da carga viral deles aconteceu apenas no lavado bronco alveolar (BAL, pulmão), mas não no nariz. A redução da pneumonia pode ser presumida a partir de fotos "representativas", mas não é estatisticamente significativa. Como a redução de carga viral no nariz é importante para reduzir a transmissão, essa vacina não reduziria a transmissão, mas a pneumonia. Ou seja, seria uma vacina para proteger grupo de risco, não para vacinar todo mundo esperando reduzir a transmissão. https://www.biorxiv.org/.../2020.05.13.093195v1.full.pdf https://www.nature.com/articles/s41586-020-2608-y A vacina chinesa nem mediu carga viral no nariz dos 4 macacos que vacinou (versus 4 controles). Mediram na garganta e reduziu a carga, mas não é estatisticamente significativo, pois havia poucos animais. Não dá para saber como seria no nariz e tenho visto que reduzir no nariz é particularmente difícil. Por que não mediram no nariz, que é onde se vai medir em humanos (nasofaringe/ nariz)? Uma 4a figura mostra como a redução na carga do nariz é mais lenta na infecção humana que na garganta, e a 5a, como vírus respiratórios costumam ter carga maior no nariz que na garganta. Ou mediram, não deu, e não mostraram? Não tem dados de redução dos sinais clínicos nesses macacos com a vacina chinesa. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32376603/

thumb_up11thumb_downchat_bubble2