O motorista do UBER ontem estava encasquetado com a questão reinfecção. "Mas se o vírus muta e reinfecta, as vacinas vão funcionar?". A imunidade natural em resposta à infecção é igual a da vacina? Se a imunidade natural não funcionar para prevenir reinfecção por vírus mutante, isso significa que a vacina também não vai funcionar? Vamos com calma. Tem 2 questões que temos que considerar. Existem micróbios que têm truques contra o sistema imune. Esses micróbios podem prejudicar a instalação da resposta imune ideal para prolongar ou até eternizar sua estadia. Nesses casos, a imunidade da vacina pode eventualmente ser superior a natural e preparando o organismo antes da chegada do micróbio, evitar o hóspede indesejável. Existe também a possibilidade de que a imunidade natural mire principalmente partes do vírus que estão sujeitas às mutações, enquanto alguma vacina em particular em particular conduza a imunidade para porções do vírus muito constantes, permitindo que o organismo elimine o vírus original e o mutante igualmente. Temos evidências desses 2 casos que justifiquem pensar que a imunidade natural ao vírus será pior que a imunidade de uma vacina para prevenir infecções por vírus mutantes? Não que eu conheça. A imunidade natural costuma ser voltada para mais porções do vírus que as de vacinas, portanto mais apta a lidar com variações do vírus. Digo "costuma", porque depende da vacina e do vírus... Enfim, no momento, não há motivos para se supor que mutações do vírus que afetam a imunidade natural não afetarão a produzida por vacinas. O motorista de UBER tem razão (exceto pelo fato de que o vírus não está fugindo da resposta imune por mutação com frequência, como expliquei no outro post). [Eu me surpreendi de ver a grande virologista Iwasaki concluir em favor de vacinas sem apresentar um argumento, em função de 2 casos de reinfecção.] https://www.thelancet.com/.../PIIS1473-3099.../fulltext...]
thumb_up6thumb_downchat_bubble3